Autoridade Espiritual

Quero neste artigo te mostrar algo da parte de Deus, uma coisa que muitas vezes não damos a devida importância, uma ordenança do Senhor, não apenas mais um mandamento dEle, um assunto que para muitos é difícil tratar, a submissão às Autoridades, sim, para muitas pessoas é extremamente difícil ser submisso às autoridades que existem em nossas vidas, porém o descaso nesta área pode acarretar diversas conseqüências.

Deus quer que o sirvamos em todas as áreas, seja na vida espiritual, conjugal, nas finanças, enfim, Deus nos quer edificados em todas as áreas para uma vida completa de comunhão com Ele. Não basta, orar, jejuar, falar em mistérios, profetizar, dizimar, ir a igreja, se não formos submissos às autoridades.

Ser submisso significa se sujeitar, respeitar, dar honra, acatar, muitas vezes até se anular. Na prática quem é que gosta de abaixar a “crista” para outra pessoa? Qual esposa que gosta de se sujeitar ao marido? Qual filho que gosta de se sujeitar aos pais? Ainda mais se for adolescente? Qual funcionário que gosta de ser cobrado pelo superior?

O Apóstolo Paulo em sua carta aos romanos no capítulo 13:1-2 ensina que devemos respeitar todas as autoridades, ele não cita esta ou aquela mas sim que nos sujeitemos a todas as autoridades, afinal as que não foram ordenadas por Deus foram permitidas por Ele. Ainda no verso 2 ele nos mostra que quem resiste a tais autoridades resiste a ordenação do Senhor, ou seja, há uma quebra de mandamento e ainda alerta que estes rebeldes atraem pra si condenação.

O motivo que escrevo este texto é para te mostrar amado irmão e leitor a importância deste tema, nós muitas vezes negligenciamos a palavra de Deus, colocamos nossos egos em primeiro lugar, isto desagrada nosso Pai e ainda atrai maldição para nossas vidas.

Posso citar dois tipos de autoridades, são elas as espirituais e as seculares. Dentro das espirituais destaco por exemplo os pastores, presbíteros, cooperadores, líderes de celula, ou qualquer nome que recebam em cada ministério; devemos tratá-los com respeito e honra pois se fizermos isto não estaremos agradando ao homem, mas sim a Deus, estaremos cumprindo um de seus mandamentos.

Talvez para alguns as autoridades espirituais são relativamente fáceis de aceitar, embora muitos são tão arredios, tão rebeldes, que não aceitam nenhum tipo de submissão, estes vivem em derrota, amargando desilusões espirituais.

Acredito que no campo secular é que se torna mais difícil ainda nos submetermos aos nossos superiores, filhos que não obedecem aos pais, esposas que não se submetem a seus maridos, funcionários que desrespeitam seus superiores. Traga à sua mente uma empresa em que um funcionário com quase 30 anos de casa de repente tem que acatar ordens de um gerente recém formado na faculdade, este possui apenas o conhecimento teórico da matéria, enquanto que o primeiro conhece todos os segredos do ofício. Como quase todo jovem no ímpeto de sua juventude pode parecer arrogante ao determinar aos seus subordinados as ordens pertinentes as funções de cada um. Imagine o quão difícil é para quem tem tantos anos de experiência receber ordens de alguém tão jovem e inexperiente? Difícil é, mas para quem tem Deus no coração o faz de bom grado sabendo que está agradando aquele que é dono de toda autoridade nos céus e na terra.

Por que os irmãos acham que muitas pessoas não crescem dentro de uma empresa ou instituição? Muitos por incompetência, mas muitos por não respeitarem a autoridade do chefe, de um supervisor, de um gerente, de um superior hierárquico.

Às esposas eu digo, na verdade não eu, mas novamente Paulo, na carta escrita aos Efésios 5:22-24, ele lhes diz: “sejam em tudo submissas a seus maridos”; permaneçam ocupando seu lugar como vaso mais fraco, o que digo pode parecer um discurso machista mas não é, é a palavra de Deus, foi instituído pelo Senhor, foi decretado por Ele desde o Éden a precedência do homem sobre a mulher, me entenda, não estou diminuindo em nada as mulheres, apenas alertando pois nos dias em que vivemos, vemos uma inversão de valores, as mulheres tomam a frente de tudo, não que elas não mereçam, mas porque muitos homens não assumem seu lugar como sacerdote do lar e por elas não respeitarem a ordenança de Deus.

Já os filhos, sim os filhos, estes são um caso à parte, quem já não foi adolescente? ou “aborrecente” como gostam de dizer hoje em dia. Filhos, jovens, mancebos, a idade da adolescência é uma idade crítica, idade em que a gente não é mais criança e nem adulto ainda, hormônios fervilhando, mudanças corporais, idade que precisamos decidir nosso futuro, decidir o que seremos e faremos pelo resto de nossas vidas, período de conflitos.

Cabe lembrar à você filho, à você filha, jovem, honre seus pais, obedêça-os! É mandamento de Deus, aliás o primeiro mandamento com promessa: “Vós, filhos, sede obedientes a vossos pais no Senhor, porque isto é justo; Honra a teu pai e tua mãe, que é o primeiro mandamento com promessa; Para que te vá bem, e vivas muito tempo sobre a terra” Efésios 6:1-3.

Preste atenção agora na revelação da palavra para sua vida jovem, “Para que te vá bem, e vivas muito tempo sobre a terra” este é o segredo da longevidade, honra teus pais e Deus te dará muitos anos sobre a face desta terra.

Certa vez ouvi um relato completamente pertinente ao tema abordado neste artigo sobre a conseqüência da desobediência, do desrespeito à autoridade. Ouvi um pastor contando sobre duas moças que queriam ir para a praia com as amigas e ao pedir à sua mãe; esta como que avisada por revelação negou o pedido das filhas. Indignadas elas resolveram ir escondidas com suas amigas, alguém pode imaginar o desfecho? Pois então, elas foram, e o mar bravio acabou por tragar suas vidas; conseqüências da desobediência, conseqüências de quebrar um mandamento de Deus, não que Ele quisesse isto, mas elas abriram “brechas” para que o inimigo as tragasse.

Minha intenção é despertar você para uma intimidade com o nosso Deus, e te mostrar ferramentas para isto. Cabe a você utilizar estas ferramentas com seu coração aberto para que elas funcionem. Submissão às Autoridades é um tema muito amplo, abrange diversas áreas e pode causar diversos tipos de conseqüências sejam elas espirituais e/ou seculares. É um tema polêmico pois muitas vezes o ser humano tem uma resistência “natural” em se sujeitar a outra pessoa.

Falando em “natural”, lembro a você leitor que quer ser abençoado em todas as áreas de sua vida, que não viva como um homem “natural” ou pior ainda como um “carnal”, de repente você está neste pecado, no pecado da “desobediência”, se quer ser restaurado, se quer restaurar sua comunhão com Deus, onde quer que você esteja, peça perdão à Deus, e na primeira oportunidade, reconcilie-se com seus pais, renda a eles a devida honra, reconcilie-se com seu pastor ou seu líder, entenda-se com seu marido, entenda-se com seu chefe ou superior, lembre-se, mais do que agradar a eles estarás agradando a Deus, e tenho certeza que você irá ver a diferença na sua vida.

“Senhor quebra a minha vida e me faça de novo, eu quero ser… eu quero ser… um vaso novo!”

Anúncios

As obras da carne e os frutos do Espírito

O apóstolo Paulo quando ensinava a igreja de Corinto fez uma alusão a três tipos de homens, cada qual com suas características, o homem natural, o espiritual, e o carnal.

O homem natural é aquele que não conhece à Deus, o ímpio, o incrédulo, este, uma pessoa que não tem o Senhor Jesus como salvador, nele abunda as obras da carne pois as coisas do Espírito lhe parecem loucura. 1 Coríntios 2:14

O homem espiritual é aquela pessoa que conhece o Senhor, não apenas de ouvir falar mas de andar com Ele, este segundo é cheio do Espírito Santo, discerne bem todas as coisas, pois são espirituais. 1 Coríntios 2:15

O terceiro tipo é o carnal, este apesar de conhecer o Senhor insiste no erro, permite que as obras da carne subjugue os frutos do Espírito, assemelha-se ao crente morno, ou mesmo àquele que está afastado dos caminhos do Senhor, ou seja, mesmo conhecendo os preceitos de Deus, mesmo conhecendo os frutos do Espírito prefere praticar as obras da carne. 1 Coríntios 3:3

O Apóstolo Paulo nos ensina em Gálatas 5:16-17 que a carne e o Espírito são opostos e constantemente militam um contra o outro e claramente nos mostra a diferença entre um cristão genuíno e um incrédulo, pois o cristão procura sempre deixar sua vontade de lado, ou a conscupicência da carne de lado, para agradar a Deus, já o incrédulo tem o Eu como centro de sua vida.

Nos versos 19, 20 e 21 Paulo lista as obras da carne e mais importante que listá-las é citar que aqueles que praticam as mesmas ficarão fora do reino de Deus.

Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança, características marcantes do cristão.

Esta passagem nos evidencia claramente a diferença entre os que se dizem cristãos, os que são, e os que não são, afinal uma árvore se conhece pelos frutos, procure desenvolver estes valores, se auto-examine, verifique se tem cometido alguma obra da carne, arrependa-se, peça perdão a Deus e procure se afastar destes pecados se queres alcançar o reino de Deus.

Você é um homem natural? Quer conhecer a Cristo? É um homem espiritual? Em você são abundantes os frutos do Espírito? Ou você é um homem carnal? Em ti são visíveis as obras da carne?

Pense nisto!

A História do Avivamento Azusa – Frank Bartleman

Com certeza em alguma pregação ou em algum livro que você já deve ter se deparado com este nome, mesmo que você não tenha percebido, você deve ter passado por este fato histórico: o Avivamento da Rua Azusa, um dos maiores avivamentos já registrados na história  mundial que deu origem ao movimento tão conhecido e comumente falado hoje que é o movimento Pentecostal.

Em vários livros e mensagens este fato é mencionado como um exemplo de avivamento, fé e poder de Deus. E o segredo do avivamento? O mesmo de todos os outros, bem como o mesmo de todos os pregadores e homens de Deus: Oração e Jejum, não há outro meio de se envolver e sentir a Deus sem orar e jejuar, está na prova ore e jejue, quer benção, ore e jejue, esta feliz ore e jejue para que Deus sempre o acompanhe assim como acompanhou e acompanhará seus servos de ontem, hoje e sempre. Vale a pena a leitura.  Avaliação: Ótimo.

A língua – Um órgão que abençoa, mas também amaldiçoa

Queridos hoje quero falar de um órgão nosso que pode ser usado para abençoar a vida de alguém, mas este mesmo órgão pode amaldiçoar também. A língua.

Fica aqui minha pergunta, como você tem usado a sua língua?

Você tem abençoado ou amaldiçoado os que te rodeam?

Gostaria que os irmãos examinassem a Palavra de Deus no livro de Tiago 3:5-10, observem que de nossa boca provém benção e maldição, então devemos nos policiar nas nossas palavras, devemos pedir sabedoria ao Senhor antes de abrirmos nossas bocas.

Muitas vezes chamamos nossos pais, filhos, amigos, cônjuges, até mesmo os inimigos de nomes que mesmo inconscientemente estamos atraindo coisas malignas na vida daquelas pessoas. Muitos tem mania de chamar os filhos de “burros”, de “peste”, vocês podem não perceber, mais tudo que a gente fala no mundo natural reflete no mundo espiritual. Lembrando que nas Sagradas Escrituras existe uma passagem que diz que tudo o que é ligado na Terra é ligado no céu, ou seja, se você abençoar uma vida através de tua língua, isto irá se refletir no mundo espiritual, agora se você proferir palavras de maldição, pode ter certeza também que haverá forças apostas, prontas para colher suas palavras e usá-las contra você ou conta quem você amaldiçoou.

Uma frase maldita ao teu filho na infância pode criar um trauma permanente na vida da criança, já ouvi muitas vezes pais dizendo a seus filhos que eles eram indesejados, que não foram planejados, que a vida seria diferente se não os tivessem concebido, pode parecer besteira mais este tipo de coisa fica incutido na cabeça de uma criança, criando às vezes sequelas e mágoas difíceis de se apagar.

Certa vez ouvi uma mensagem, uma ilustração a respeito da língua onde um patrão chega para sua empregada e a manda ir até o açougue para comprar a melhor carne que ela encontrasse. Pouco tempo depois a empregada volta com o pedido e para espanto do patrão ela vem com uma peça de língua e mostra a ele. Indignado ele pergunta: “Eu mandei você comprar a melhor carne do açougue e você me vem com língua?” A empregada responde: “Sim patrão, eu trouxe língua porque ela pode ser usada para abençoar a vida de alguém”. O patrão acaba sendo convencido e come a língua neste dia. Alguns dias depois o patrão se dirige para sua empregada e faz um novo pedido, mas desta vez usa um outro artifício pois acreditava que se pedisse a melhor carne do açougue já sabia o que sua empregada iria trazer, então ele a manda de novo ao açougue mas desta vez pede que ela traga a pior carne do açougue. Novamente a empregada volta do açougue trazendo mais uma peça de língua. Mais perplexo ainda e “entrando em parafusos” ele pergunta a sua empregada: “Mulher, você está querendo me confundir? Quando eu peço para você me trazer a melhor carne do açougue você me traz língua, então te peço para trazer a pior carne do açougue você me traz língua também?” Novamente a empregada responde ao seu patrão: “Eu trouxe língua novamente porque da mesma forma que ela pode ser usada para abençoar alguém, ela também pode ser usada para amaldiçoar, por isso que ela pode ser a melhor ou a pior carne do açougue”. Mais uma vez desconcertado o patrão acata o raciocínio da empregada e acaba comendo a tal da língua.

Por isso meus amados quero que reflitam sobre como tem usado este órgão que Deus te deu, se tem usado para bênção ou maldição, pare um instante e examine seu interior, aprenda a usar sua língua, peça sabedoria a Deus para usá-la corretamente.

Use sua língua para adoração ao Senhor, para abençoar sua família, seus amigos, seus companheiros de trabalho, caso não consiga de uma olhada no que diz a palavra de Deus e Isaías 6:5-8, entre no teu quarto fale com Deus, peça a Ele que envie um de seus anjos para tocar seus lábios com uma brasa de fogo e te purificar e se fores suficientemente ousado diga a Ele: “Eis-me aqui, envia-me a mim.”